Fotógrafa recria a “Última Ceia” com ativistas da comunidade LGBT

 Como forma de protesto, a fotógrafa Dalva Assis resolveu retratar de forma inusitada a última ceia com militantes LGBT de Santa Catarina. A foto aconteceu no fim da 2ª Conferência Municipal LGBT de Florianópolis – Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Pessoas Trans e teve como participantes os integrantes presentes.

A campanha de combate as fobias foi lançada em uma data especial, no dia primeiro de novembro que representa o dia de todos os santos, deixando claro que todos são iguais, indiferente da raça, credo, cor, identidade de gênero e orientação sexual e junto com isso, coincide com a data de aniversário de 33 anos da ativista Lirous K’yo Fonseca Ávila que se identifica como trans não binária, pessoa que não se identifica nem com o papel de gênero masculino e nem com o papel de gênero feminino foi aclamada para que representasse Jesus Cristo pelos participantes da conferência.

A última ceia com Lirous é o trabalho mais recente da fotógrafa e une fotografia, desenho, desenho digital e edição de imagem. Realizado como resposta à bancada evangélica que em Brasília distorce as palavras de Cristo e prega o ódio e preconceito na Câmara dos Deputados e as constantes violências sofridas pela população LGBT.

O trabalho circulará o país através da internet sites e produtos com a temática, e o que for arrecadado será revertido para o projeto da Casa de acolhimento da ADEH e Desdobrando Arte, o Projeto Casulo, saiba mais em: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/projeto-casulo-casa-de-acolhimento-lgbt

A fotógrafa
Dalva França de Assis, paulista de Mauá, estudou moda em São Paulo e atualmente estuda artes visual na UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina. Sempre empenhada nas artes, Dalva também é graffiteira, ilustradora de livros, desenhista e é fotógrafa amadora. Adora bossa nove e ópera, esquerdista sempre levanta a bandeira da promoção social.

Lirous K’yo Fonseca Ávila
Lirous K’yo Fonseca Ávila preside a ADEH – Associação em Defesa dos Direitos Humanos, instituição de direitos humanos que atua em Florianópolis há mais de 23 anos. Preside também o Fórum Diversidade da Grande Florianópolis que reúne mais de 20 instituições no combate as fobias e as violências LGBT. Trabalha de forma voluntária desde 2004, sem apoio governamental ou privado, acolhendo vítimas de violência, pessoas em situação de rua e demais demandas ligadas a população LGBT, incluindo as demandas do disque 100 de Santa Catarina.

Figurino
O figurino ficou por conta da estilista Maria Lís Cardoso proprietária da loja T Dolls, que confecciona vestuários especializados em roupas para mulheres transexuais e mulheres travestis, inclusa no projeto de economia solidária da instituição de arte Desdobrando Arte Ateliê, que prioriza que as integrantes sejam mulheres travestis e mulheres transexuais, já que majoritariamente são excluídas do mercado de trabalho formal sendo jogadas para serem obrigatoriamente profissionais do sexo.

Fonte: Portal Desacato com informações de Lirous K’yo Fonseca Ávila

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s