resenha

Livro K.

O livro K., do jornalista e escritor Bernardo Kucinski, retrata, por meio da ficção, a busca de um pai por sua filha, vítima da ditadura civil-militar brasileira no ano de 1974. A história relatada no livro é baseada na realidade vivida pela família do autor, e por tantos outros que perderam seus familiares durante o regime repressor. O pai de Bernardo é transformado em K., o protagonista  da obra que se desespera com o desaparecimento da filha Ana Rosa e sai em busca de seu paradeiro. Ela foi militante da resistência à ditadura pela Aliança Libertadora Nacional e, também, professora da Universidade de São Paulo (USP). Sequestrada, torturada e assassinada junto ao marido, o crime não foi solucionado e o casal entrou na lista dos desaparecidos.

O livro é da Editora Expressão Popular. Mais informações no telefone (21)2220-4623 ou no e-mail livraria@piratininga.org.br

Cartilha sobre a origem do Dia das Mulheres

O Núcleo Piratininga de Comunicação lança, em 2012, uma nova edição da cartilha sobre a origem do Dia das Mulheres e a atualidade da luta pela libertação da mulher. Com redação de Vito Giannotti e ilustrações de Carlos Latuff, esta publicação trata dos acontecimentos que marcaram o 8 de março como dia de luta mundial das mulheres.

Baseado em uma longa pesquisa, o texto explica como se espalhou o mito das 129 mulheres queimadas vivas, no ano de 1857, em Nova Iorque, versão que esconde a origem socialista da data. Na verdade, o 8 de Março foi consagrado por uma greve de operárias em 1917 que, sem querer, foi o estopim da grande Revolução Russa. Logo em seguida, em 1919, a 3ª Internacional declarou esta data como o dia mundial da luta das mulheres.

Mais informações no email boletimnpc@uol.com.br ou pelos telefones (21) 2220-5618 e 2220-4623.


Direito à Memória e à Verdade – ditadura no Brasil – 1964 a 1985

Este livro é resultado da exposição fotográfica A ditadura no Brasil, do projeto “Direito à Memória e à Verdade” da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. O livro traz uma série de fotografias acompanhadas de textos curtos e diretos. Essa é uma maneira de conhecer o episódio de nossa história marcado pela repressão e violência institucionalizada. Ao mesmo tempo, a publicação pretende contribuir para que violações aos direitos humanos não continuem ocorrendo.

Autor: Vários
Mais informações:  Núcleo Piratininga de Comunicação  http://www.piratininga.org.br/


Para além do capital: rumo a uma teoria da transição

Obra de maior envergadura do filósofo húngaro István Mészáros, Para além do capital, é uma das mais aguçadas reflexões críticas sobre o capital em suas formas, engrenagens e mecanismos de funcionamento. Influenciada por Marx, Lukács e Rosa Luxemburgo, a obra de Mészáros é o desenho crítico e analítico mais ousado contra o capital e suas formas de controle social.

Em Para além do capital, Mészáros empreende uma demolidora crítica do capital e realiza uma das mais instigantes e densas reflexões sobre a sociabilidade contemporânea e a lógica que a preside. Para ele, capital e capitalismo são fenômenos distintos e a identificação conceitual entre ambos fez com que todas as experiências revolucionárias vivenciadas neste século, desde a Revolução Russa até as tentativas mais recentes de constituição societal socialista, se mostrassem incapacitadas para superar o sistema de metabolismo social do capital. O capitalismo seria uma das formas possíveis da realização do capital, uma de suas variantes históricas.

Editora: Boitempo
Ano: 2002
Páginas: 1104

Anúncios